Conheci as Blythes lá em 2009, quando comecei a colecionar Pullips. Logo no primeiro encontro que participei aqui em BH uma das meninas levou uma Blythe e confesso que no início sua cara achatada sem sobrancelhas não ganhou meu coração. Mas é aquela história né, uma hora a gente garra amor daí não tem jeito, tanto que em 2013 comprei minha primeira Blythe e hoje sou apaixonada por elas assim como pelas outras bonecas da minha coleção.

A ideia de ter uma lojinha surgiu depois que comecei a fazer roupas para as minhas próprias Pullips. Eu sempre postava fotos lá no Flickr então, outros colecionadores começaram a querer encomendar as minhas peças, e olha que lá nesse início eu costurava tudo a mão, nem sabia mexer em uma máquina de costura.

Depois de um tempo ganhei uma máquina de presente da minha mãe, não consegui me adaptar a costurar na dela, então ela me deu um Singer portátil. A partir daí não parei mais, e estou sempre em busca de como melhorar meu trabalho, para entregar peças de qualidade, afinal nossas bonecas merecem. E garanto que o controle de qualidade aqui na minha casa é bem rígido, além de eu ser bem crítica com meu próprio trabalho, minha mãe que também costura e minha irmã, que não costura mas é exigente como ninguém, estão sempre me incentivando e me mostrando que eu sou capaz de sempre fazer o melhor.

A lojinha teve vários nomes até que por fim ficou Nanda Panda, união do meu apelido com meu amor por pandas. Vestidos, conjuntos, hats, cases, e acessórios, gosto sempre de inovar, e atualmente tenho feito coleções cápsula, assim tenho sempre peças diferentes e variadas, e o melhor de tudo, únicas.

Cada peça criada, cada detalhe colocado, tudo é feito inteiramente por mim, a Nanda, desde a ideia que as vezes é difícil passar para o papel, a criação do molde, definição de estampas e cores, costura, venda, entrega... Cada caixinha vai recheada com pequenos pacotinhos de amor e carinho.

Agora resolvi me aventurar com customização das Blythes também, algo que eu queria já tem um tempinho, mas sempre faltava tempo pra fazer tudo que vai surgindo aqui na cabeça. Como agora me dedico integralmente a minha loja, o momento não poderia ser melhor para me jogar de cabeça nessa ideia, afinal, a gente só sabe se consegue fazer algo, fazendo.

E assim, vou unindo o hobby ao trabalho, deixando a vida ainda melhor.